18/12/2014

Cuscuz de quinoa

Essa receita eu preparei inspirada numa aula de um curso de gastronomia que participei, no qual fizemos um Cuscuz Marroquino de acompanhamento para um peixe. Ficou uma delícia! Mas tinha um pequeno probleminha... o glúten!
Infelizmente o Cuscuz Marroquino é feito com a sêmola do trigo, ou seja, ele é rico em glúten. Não sou celíaca, mas desde que descobri os verdadeiros perigos do glúten na nossa saúde, eu evito consumir alimentos com ele.

Então, fui atrás de uma alternativa para substituir o cuscuz marroquino, e escolhi a quinoa em grãos! Não só troquei o ingrediente principal, como acabei inventando uma receita nova. Deu muito certo, quem experimentou adorou! E o melhor, o preparo foi bem simples e fácil. Qualquer um pode fazer!

Pra quem não conhece, a quinoa (ou quinua) é um grão funcional sem glúten muito nutritivo, rico em proteínas e fibras. E hoje em dia é bem fácil de encontrar em supermercados ou casas que vendem grãos a granel. Para conhecer mais sobre a quinoa e os seus benefícios, clique aqui!


Cuscuz de quinoa

    Ingredientes
  • 1 xícara de chá de quinoa em grãos
  • 2 xícaras de chá de caldo caseiro de legumes
  • 2 tomates sem sementes picados em cubinhos
  • 1/2 cebola roxa picada em cubinhos
  • ½ xícara de chá de castanha do pará moída
  • ½ xícara de uvas passas hidratadas em um pouco de caldo caseiro de legumes
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva extra-virgem
  • 1 colher de sopa de farinha de linhaça dourada
  • 1 colher de sopa de chia
  • 1 colher de sopa de hortelã fresco picado
  • 1 colher de chá de sal 
  • Raspas de 1 limão siciliano


    Modo de preparo
  1. Leve o caldo de legumes ao fogo, e assim que levantar fervura abaixe o fogo e acrescente a quinoa. Deixe cozinhar com a panela semi tampada por, aproximadamente, 20 minutos, tempo da água secar. Fique de olho!
  2. Após o cozimento, transfira a quinoa para uma tigela e deixe esfriando. Enquanto isso, vá cortando e separando os demais ingredientes.
  3. Quando a quinoa já estiver fria, misture todos os ingredientes, começando pelo azeite.
  4. Sirva em frio ou em temperatura ambiente.

 

17/12/2014

Caldo de legumes

Nunca gostei de cozinhar usando aqueles tabletes de caldos prontos, e sinceramente, nunca havia sentido falta de usar qualquer tipo de caldos nas minhas receitas.

Até que durante um curso de gastronomia que fiz, o chef deu a dica de utilizar esses caldos – também conhecidos como “fundos” ou “base aromática” – para diversos preparos, como para cozinhar arroz, macarrão, preparar risotos, hidratar grãos... Lembro direitinho da frase que o chef disse: “o fundo é a alma do cozinheiro”. E claro que isso me despertou a maior curiosidade, pois além de dar um sabor especial aos preparos, o uso desses caldos vai deixar a receita ainda mais nutritiva.

O ideal é manter a linha saudável com comida de verdade e deixar de lado os produtos prontos, né? Preparar um caldo de legumes é muito mais simples do que você imagina!

Vou compartilhar com vocês uma receita base de caldo que o chef ensinou pra gente. Você pode acrescentar outros tipos de legumes e temperos, como salsinhas, alho-poró, folhas de louro, cravos da Índia... Não tenha medo de experimentar na cozinha e, assim, descobrir novos sabores!

Caldo de legumes (receita base) 

     Ingredientes 
  • 50% de cebola 
  • 25% de cenoura com casca 
  • 25% de salsão (folhas e talos) 
  • água

    Modo de preparo 
  1. Corte os legumes já higienizados em tamanhos médios e parecidos. Para uma cozimento mais rápido o tamanho deverá ser menor. 
  2. Coloque todos os legumes numa panela grande e com tampa, adicione água até cobrir tudo e deixe cozinhando, em fogo baixo, por no mínimo 45 minutos após começar a ferver, para extrair bem todos os nutrientes. Esse tempo pode variar de acordo com a quantidade do preparo. 
  3. Após o tempo de cozimento, coe o caldo com uma peneira fina, descartando os pedaços de legumes. 
  4. Guarde o caldo em potes fechados na geladeira por até 5 dias, ou congele por 3 meses. 

13/12/2014

Salada Waldorf com Kefir

Ganhei um pouco de Kefir de uma amiga já tem uns dois meses e desde de então estou consumindo todos os dias. E também descobrindo diferentes maneiras de utilizá-lo dentro e fora da cozinha!

Ah, para quem não sabe, Kefir é uma bebida probiótica, não comercializada e distribuída em forma de doações, que traz ótimos benefícios para o nosso corpo. Já pesquisei bastante na internet sobre ele, e pra quem quiser entender um pouco mais, sugiro a leitura do texto "O que é Kefir?" do site da Pat Feldman.

E para quem desejar doações, sei que tem diversos grupos por aí que fazem a troca, mas para facilitar, indico o blog "Kefir - Alimento Probiótico".  Eu já estou doando para alguns familiares e amigos próximos, mas ainda não tenho grandes quantidades.

Bom, vamos falar sobre a receita?
Outro dia vi na TV algum chef fazendo uma Salada Wardolf e adorei a idéia. Fui atrás da receita na internet e gostei da que achei no site Panelinha

Mas é claro que fiz uma adaptação! Na receita original o molho é feito a base de iogurte e maionese... a minha eu fiz apenas com o cream-cheese de Kefir! É uma opção ótima para os dias quentes, pois é super refrescante. Confira abaixo:

Salada Waldorf com Kefir

    Ingredientes
  • 2 maçãs verdes
  • 1 talo de salsão
  • 1/2 xícara de chá de cream-cheese molhadinho de Kefir
  • suco de 2 limões
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1/4 de xícara de chá de nozes moídas
  • sal e pimenta do reino a gosto
   
    Modo de preparo
  1. Fatie a maçã verde ao meio, corte em três "meias luas" cada metade e retire as sementes. 
  2. Corte bem fino cada pedaço das partes da maçã e coloque numa tigela regando um pouco do suco de limão.
  3. Fatie o talo do salsão em pedaços pequenos e finos, e misture com a maçã.
  4. Numa tigela menor, faça o molho misturando com auxílio de um garfo ou mini-fouet o cream-cheese de Kefir com o resto do suco de limão, o azeite, o sal e a pimenta do reino.
  5. Adicione o molho nas maçãs e salsão e misture acrescentando os nozes.
  6. Guarde na geladeira e sirva gelado.

01/09/2014

Abóbora paulista refogada

Além das abóboras, também ganhei
um coador de pano para o café! :)
Minha sogra foi viajar para o interior de São Paulo e me trouxe de presente duas abóboras paulistas. E eu, simplesmente, adorei!!! Claro que deve ter aqui na capital para comprar, mas eu nunca reparei! rs

Confesso que tive que procurar na internet para descobrir qual o nome certo do presente, pois eu só conhecia a abóbora moranga e japonesa (cabotiã) e as abobrinhas italiana e brasileira. Acabei aproveitando para pesquisar algumas receitas também, afinal nunca tinha comprado a abóbora paulista e não sabia como preparar.

Me deram a dica de fazer gratinada no forno com creme de leite e parmesão... hum! Mas como não tinha creme de leite fresco em casa, acabei preparando ela refogada com bacon!  Adorei o resultado, pela facilidade e, principalmente, pelo sabor!

Ah, na hora de colocar a mão na massa, não sabia se descascava ou não. Na dúvida, achei melhor manter a casca, pois lembrei que muitos alimentos conservam mais nutrientes nela. Mas claro, higienizei bem antes de usá-las!

Abóbora paulista refogada

    Ingredientes
  • 2 abóboras paulista cortada em cubinhos
  • 150 g de bacon cortado em cubinhos
  • 1 cebola picada
  • 1/2 colher de sopa de manteiga sem sal
  • alecrim (fresco ou desidratado) picado
  • sal a gosto
   
    Modo de preparo

  1. Coloque a manteiga numa panela para derreter e frite o bacon.
  2. Adicione a cebola, misture com o bacon e deixe refogar.
  3. Quando a cebola começar a ficar transparente, coloque a abóbora, o sal, o alecrim e misture bem!
  4. Tampe a panela e deixe cozinhar por 5 minutos. Não precisa colocar água.
  5. Após o tempo, verifique se ficou bom e sirva! Se quiser ela mais molinha, deixe cozinhar por mais alguns minutos.

28/08/2014

Acelga com bacon

Acabei fazendo essa saladinha sem me preocupar muito com quantidades, usando o que eu tinha disponível na geladeira de casa. A minha ideia inicial era preparar a acelga com o bacon, como eu já tinha achado uma receita na internet. Mas ao começar o preparo, pensei em adicionar outros ingredientes e preparar do meu jeito. 

Como ficou gostoso e é super fácil de preparar, compartilho com vocês para servir de inspiração!

Ah, se você não viu eu já contei um pouco sobre o meu modo de cozinhar no post anterior antes de escrever a receita do frango!

Acelga com bacon

    Ingredientes
  • Acelga cortada em tiras finas
  • Fatias de bacon cortado em cubinhos
  • 1/2 colher de sopa de gordura de porco ou manteiga sem sal
  • 1 tomate com pele e sem sementes cortado em cubinhos
  • 1/2 cebola picada
  • sal a gosto
  • pimenta do reino a gosto
   
    Modo de preparo
  1. Coloque a gordura para aquecer numa panela grande e frite os pedaços de bacon. 
  2. Retire os pedaços fritos com ajuda de uma espumadeira e reserve.
  3. Coloque a cebola para dourar na mesma panela e com a gordura que fritou o bacon.
  4. Quando a cebola começar a ficar transparente, acrescente os tomates e misture.
  5. Adicione a acelga, o sal, a pimenta do reino. Deixe cozinhar um pouco, misturando de vez em quando.
  6. Retire do fogo assim que a acelga começar a murchar. 
  7. Coloque a acelga numa tigela e misture os pedaços de bacon fritos.

27/08/2014

Emagrecimento consciente

Esse texto é uma continuação do "Como conheci a alimentação lowcarb/paleo" para poder compartilhar minha experiência atual.

Quem me acompanha no Instagram (@alemdasdietas) já sabe que desde de julho desse ano resolvi mudar um pouco algumas coisas, inclusive até algumas pessoas me pediram para eu contar mais sobre essas experiências. Então vamos lá...

Meus primeiros seis meses com a lowcarb/paleo

Como eu já expliquei no texto anterior, cortar o glúten da minha alimentação não foi problema! As dificuldades que enfrentei foi com o aumento do consumo de gorduras boas, e principalmente, com a redução do açúcar.

Passei por altos e baixos nos primeiros meses, cheguei até a repetir a estratégia de ficar 30 dias sem açúcar, como já fiz na época da minha reeducação alimentar no ano passado. Só que dessa vez eu tirei tudo que tinha açúcar e adoçantes, tudo mesmo! Consegui numa boa, o sacrifício mesmo acontece só na primeira semana, depois os doces nem despertavam mais a minha vontade! Mas, no 31º dia sem açúcar, eu quis experimentar um chocolate para saber se ia achar doce e enjoativo.. e quer saber? Acabei comendo uma barra inteira! Ou seja o meu problema não estava resolvido, o açúcar para mim era a mesma coisa gostosa de sempre!

A cabeça de gordinha

Sim, eu emagreci bastante e estou conseguindo sustentar um corpo magro com a mudança que fiz no meu estilo de vida. Mas algo que me incomoda é que a minha cabeça ainda continua sendo de gordinha. Não para as principais refeições, porque aprendi a gostar de pratos enormes de saladas e comer alimentos saudáveis. O meu problema é quando não consigo resistir a doces e outras besteiras, pois eu não sou aquela pessoa que se contenta e fica satisfeita apenas com um pedaço pequeno de chocolate ou uma colher de sorvete...

É ai que entra a Larissa gordinha num corpo magro! Quando eu não consigo me controlar e acabo comendo demais, misturando tudo o que vejo pela frente e passando mal de tanta besteira que ingeri. Fico muito mal fisicamente e psicologicamente por causa dessas compulsões alimentares.

Emagrecimento consciente

Enfim, depois de passar por algumas crises dessas com doces e até mesmos com receitinhas preparadas somente com comida de verdade, eu perdi um pouco o controle das coisas e comecei a sentir que o meu peso começou a aumentar, pois minhas roupas passaram a ficar apertadas. Isso é algo que me preocupa muito! E foi assim que comecei a ter consciência de que toda essa compulsão alimentar e descontrole com o consumo de açúcar estava relacionada com momentos de ansiedade e stress que eu estava passando. Ou seja, o meu problema com a comida é emocional!

O que estava faltando para mim era o equilíbrio entre o meu corpo e minha mente para eu ser feliz!
Pois ter um corpo magro com essa cabeça de gordinha estava me fazendo mal. Então decidi que era o momento de buscar algum tipo de ajuda, para eu aprender a conviver melhor com a comida. 

A minha primeira decisão foi ir atrás de um médico que seguisse a linha lowcarb/paleo, que eu acredito ser a melhor para a nossa saúde! Queria refazer os meus exames e ter um acompanhamento/orientação na minha alimentação. Para mim ter um apoio de um profissional é importante, por mais que eu tenha bons conhecimentos sobre o assunto.

Refeições mais simples
Conheça os alimentos que você consome!

Algumas orientações iniciais do médico foram: evitar ao máximo comer açúcar e alimentos que me despertam compulsões (isso é bem pessoal, e eu aprendi a ter consciência desse alimentos gatilhos, sendo saudáveis ou não) e manter a minha atual alimentação com comida de verdade da maneira mais simples possível.

Eu decidi por conta própria que ia parar de preparar receitinhas que acabam se tornando verdadeiras bombas calóricas e que me causam compulsão, como por exemplo, bolos sem glúten e sem açúcar! E outra contar calorias não é necessário, mas isso não significa chutar o balde. Coma com consciência, saiba quais alimentos são mais calóricos e consuma eles com mais moderação.

Comida simples: alface crespa,
alface roxa e broto de beterraba
Optei por seguir uma linha do menos é mais, minhas refeições atuais são bem simples e geralmente compostas por salada de folhas, legumes cozidos ou refogados e uma proteína animal. As gorduras que uso são para temperar ou acompanhar as refeições: azeite, manteiga, óleo de coco e abacate. Minha maior preocupação é em comer comida de verdade, com menos industrializados e variar os alimentos!

Procuro comer quando tenho fome, dessa forma faço pelo menos duas refeições no dia: almoço e janta! Mas nada me impede de tomar café da manhã, caso eu acorde com fome. Ou seja, sem muitas regras, tento sempre escutar o que o meu corpo fala e me alimentar com nutrientes que acredito que sejam bons para ele.

Adeus gordinha!

E, junto com a ajuda do médico nutrólogo, eu acabei conhecendo e participando de um Grupo de Emagrecimento Consciente. A proposta desse grupo caiu como uma luva pra mim e para o momento que estava passando: aprender a pensar magro com reuniões semanais para trocar de experiências e buscar um novo comportamento mental com acompanhamento de um psicólogo, utilizando exercícios de Programação Neurolinguística (PNL), exercícios de relaxamento e meditação e auriculoterapia.

Junto com isso, também senti vontade de voltar a praticar Yoga e com o tempo estou tentando pegar mais leve com as minhas cobranças.


Então desde de julho desse ano, essa foram as mudanças que incorporei na minha vida... e estou tendo ótimos resultados! Sinto uma evolução interna muito grande... mas sei que são problemas que não são resolvidos da noite para o dia, ainda enfrento altos e baixos nesse caminho!

Claro que quero manter meu corpo magro, mas os meus objetivos vão além de uma estética perfeita. Nem sei se a minha genética permiti isso... O que eu mais quero é ter uma vida mais saudável e ser feliz dentro das minhas escolhas, aproveitando todos os momentos!

25/08/2014

Peito de frango com estragão, mostarda e abobrinhas

Na semana passada fui à uma livraria e, na busca por um livro sobre dicas de culinária e gastronomia, uma edição me chamou muito a atenção: "Como cozinhar sem receitas" do Glyn Christian (Ed. Gutenberg).

Comprei e comecei a ler no mesmo dia, pois adorei a proposta do autor de criar pratos sem parecer um robô na cozinha, seguindo a risca cada ingrediente e modo de preparo de uma receita. Afinal, pra mim cozinhar tem sido uma terapia, indo muito além da minha preocupação de comer saudável. E aproveitei esse último final de semana para já colocar em prática algumas dicas que li no livro.

A mensagem que eu quero passar pra vocês com a indicação desse livro é a seguinte: torne o preparo da sua alimentação um verdadeiro prazer! Cozinhar e preparar refeições saudáveis não tem mistérios e segredos e é uma forma de você cuidar de você e de quem você ama!

Vá atrás de receitas, mas use elas como base, como inspiração, como aprendizado e não como um roteiro. Experimente! Substitua os ingredientes, utilize o que você tem disponível na geladeira e no armário, não se prenda! Crie!

Se na receita diz para você usar peito de frango, mas você tem sobrecoxa em casa, arrisque fazer com elas! Se está escrito para utilizar azeite para marinar, mas você não gosta... troque, usei manteiga! Ah, e também não se prenda nas medidas e quantidades! Cada um tem um gosto, tem um paladar!

E foi isso que fiz com essa receita de frango. Segui a dica do autor da combinação de frango com estragão e fui atrás de uma receita com esses ingredientes. Achei, mas não segui o roteiro: utilizei os  ingredientes que tinha disponível em casa, não me preocupei em medir as quantidades de maneira exata, substitui o que não tinha ou não queria usar e inventei outra maneira de reutilizar o molho.

Fique a vontade para usar essa receita como inspiração para criar a sua própria! ;)

Peito de frango com estragão, mostarda e abobrinhas

    Ingredientes
  • 4 filés de peito de frango
  • 3 colheres de sopa de estragão fresco picados
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 3 colheres de sopa de mostarda dijon
  • suco de 1/2 limão
  • sal a gosto
  • 2 abobrinhas italianas pequenas picadas em cubos
  • 1 tomate sem sementes picado em cubos
   
    Modo de preparo
  1. Separe os peitos de frango e com uma faca faça talhos profundos dos dois lados. Reserve.
  2. Num recipiente misture, com auxílio de um garfo, o estragão, o azeite, a mostarda, o limão e o sal. 
  3. Coloque os filé de frango nessa mistura e espalhe nos dois lados. Deixe os frangos marinando nesse recipiente por uma hora em temperatura ambiente.
  4. Após esse tempo, aqueça um pouco de azeite numa frigideira e coloque os filés para grelhar até ficar dourado dos dois lados. Retire da frigideira e reserve (se quiser deixe dentro do forno pré-aquecido a 180 graus para mante-los aquecidos)
  5. Na mesma frigideira, sem lavar, acrescente o molho do marinado que sobrou no recipiente e adicione o tomate e a abobrinha. Misture bem e deixe cozinhar por uns 5 minutos.
  6. Retire do fogo e sirva os legumes junto com os filés grelhados.

14/08/2014

Atum com mostarda

Não sou a favor de consumir muitos alimentos industrializados, mas também não sou a favor de radicalismos extremos, até porque viver sem eles é praticamente impossível!

Atum em lata sempre foi um grande parceiro meu na cozinha, e é um alimento que gosto bastante! Claro que não consumo ele diariamente, mas sempre tenho uma lata ou outra no armário para quebrar um galho e dar uma diferenciada nas refeições.

Quanto ao tipo que compro, depende um pouco do meu humor no dia e do que eu encontro no mercado. Pode ser o atum ralado ou sólido ao natural e tem uns também que são feitos com azeite de oliva. Gosto sempre de ler o rótulo e escolher o que me agrada mais pelos ingredientes utilizados.

Ultimamente estou consumindo um atum sólido defumado, mesmo não sabendo qual o tipo do óleo comestível que ele é conservado. Até porque como eu já disse, não é sempre que consumo e não gosto de radicalismos extremos!

Para preparar essa receita, super simples, use aquele que você tem em casa ou que gostar mais!

Atum com mostarda

    Ingredientes
  • 1 lata de atum
  • 1/2 cebola picada 
  • 3 colheres de sopa de mostarda Dijon
  • 2 colheres de sopa de alcaparras lavadas 
  • 2 colheres de sopa de azeite

    Modo de preparo
  • Misture todos os ingredientes e sirva gelado.

11/08/2014

Repolho refogado com alho-poró

Mais uma dica/receita fácil de preparar!
Tinha uma bandejinha de repolho branco na geladeira e um talo de alho-poró e não sabia o que fazer. Na dúvida, e também para facilitar, resolvi misturar os dois.

Como gostei do resultado, vou dividir com vocês!

Ah, e não joguem fora a folha do alho-poró, dá pra usar ela de várias maneiras. Eu já experimentei frita no óleo de coco e crua misturada na salada. Fica uma delícia dos dois jeitos! ;)

Repolho refogado com alho-poró

Ingredientes
  • 200 g de repolho branco higienizado e picado em tiras finas
  • 1 talo de alho-poró higienizado e fatiado em tiras finas
  • 1/2 cebola picada
  • 1 colher de sopa de manteiga (sem sal)
  • 2 colheres de sopa de cheiro verde
  • sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo
  1. Aqueça a manteiga numa panela e coloque a cebola, mexendo sempre.
  2. Assim que a cebola começar a ficar transparente, adicione o alho poró e misture bem.
  3. Coloque o repolho, um pouco de água, o sal e a pimenta do reino e tampe a panela por uns 10 minutos.
  4. Por último, coloque o cheiro verde, misture tudo e deixe mais 2 minutinhos cozinhando sem a tampa da panela.



07/08/2014

Carne louca

Desde que voltei a comer carne vermelha, tinha vontade de fazer uma desfiada, tipo carne louca, em casa. Mas não tentava, porque sabia que iria precisar de uma panela de pressão, além de imaginar que seria bem complicado.

Estava enganada! Depois de assistir a Rita Lobo preparando uma carne louca no programa Cozinha Prática, decidi arriscar. Anotei as dicas de tempero e o tipo de carne, comprei os ingredientes e lá fui eu para a cozinha. Ah, e sem a panela de pressão. Mesmo sabendo que ia demorar bem mais, fiz a carne desfiada na panela comum e depois preparei o molho do meu jeito.

Quanto ao tipo de carne, usei o músculo, conforme a receita que peguei. Mas, se for fazer novamente, irei tentar outro pedaço. Não pelo gosto, ficou super saboroso e macio, mas sim porque achei bem chato desfiar.

Achei mais fácil escrever a receita em duas partes: o preparo para desfiar a carne e como preparar a carne louca. Espero que gostem!

Carne louca

    Ingredientes para cozinhar a carne
  • 500 g de músculo bovino (ou o tipo de carne que preferir)
  • 800 ml de água
  • 1/2 cenoura descascada e cortada em duas rodelas
  • 1/2 cebola cortada em duas partes no sentido do comprimento
  • 1 colher de sopa de salsinha (ou salsão)
  • 2 folhas de louro
  • 2 cravos da índia
  • 1 canela em pau
  • sal a gosto

    Modo de cozinhar a carne
  1. Corte a carne em pedaços médios.
  2. Coloque uma folha de louro presa com um cravo da índia em cada parte da cebola.
  3. Em uma panela grande, coloque todos os ingredientes e leve para cozinhar com tampa em fogo médio por 2 horas, sempre completando com água. Caso tenha panela de pressão, deixe por 30 minutos.
  4. Após esse tempo, coe o caldo e separe os pedaços de carne. Reserve umas 3 colheres de sopa desse caldo, e se quiser, guarde o restante para usar em outras preparações (pode congelar também).
  5. Desfie os pedaços da carne ainda morna numa tábua, com auxílio de um garfo e faca e reserve numa tigela.

    Ingredientes para a carne louca
  • Carne desfiada da receita acima
  • 3 colheres de sopa de caldo de carne caseiro da receita acima
  • 1 colher de sopa de gordura (manteiga sem sal ou banha)
  • 2 a 3 fatias de bacon cortado em cubinhos
  • 1/2 cebola picada
  • 15 a 20 azeitonas verdes sem caroço picadas
  • 150 ml de molho vermelho sem tomates
  • sal a gosto

    Modo de preparo
  1. Adicione o caldo na carne desfiada na tigela e reserve.
  2. Leve uma panela ao fogo, aqueça a gordura e coloque a cebola para refogar.
  3. Quando a cebola começar a ficar transparente, adicione os pedaços de bacon e deixe fritar.
  4. Acrescente a carne, as azeitonas e o molho vermelho. Se achar necessário acerte o sal.
  5. Deixe cozinhar por uns 5 minutos e está pronto!


31/07/2014

Como conheci a alimentação lowcarb/paleo

Antes e depois: diferença de 1 ano e meio
Para entrar nesse assunto, eu acho importante explicar sobre o meu processo de emagrecimento. Já contei um pouco nos textos do "Quem sou eu", mas acho que vale repetir!

No começo de 2013 eu decidi que queria emagrecer e melhorar a minha saúde, pois estava sofrendo demais com refluxos devido a problemas como gastrite, esofagite e pedra na vesícula. Então comecei a estudar sobre alimentação (li muito, principalmente os artigos do Emagrecer de Vez) e iniciei uma reeducação alimentar, com muita comida de verdade.

Minhas estratégias

Depois de uns 8 meses seguindo firme e já com um corpo magro e mais saudável, eu comecei a refletir se seria sustentável manter o esquema de alimentação que estava seguindo pelo resto da minha vida. Estava começando a ficar incomodada e preocupada de ter que planejar minhas refeições da semana com antecedência, de ter que pesar e anotar tudo o que eu comia para ver se estava dentro das minhas metas de macronutrientes e calorias do dia, de ter que carregar sempre comigo um monte de marmitinhas para comer de 3 em 3 horas quando o celular despertava me lembrando do lanchinho!

Bolsa de marmitas que carregava durante a semana, controle total em aplicativo no celular e refeições no trabalho

Não posso negar: essas medidas e estratégias foram ótimas para mim, pois foi assim que conquistei o meu peso atual. Mas viver assim para o resto da vida não iria dar certo!

Um novo caminho

Foi então que eu voltei a pesquisar mais sobre alimentação e comecei a ler o livro digital do Emagrecer de Vez em busca de uma nova solução. E encontrei, pois no livro ele propõe dois caminhos: um que eu já estava seguindo, e um outro, que ele chama de método revolucionário, que nada mais é uma alimentação sem glúten e rica em gorduras.

Isso me despertou o interesse, pois estava disposta a mudar! E além dessas mudanças, ele explicou que seguindo esse método, não iria precisar mais me preocupar com calorias, poderia comer apenas quando estivesse com fome, não teria que passar mais horas nas academia para manter meu peso e que a minha alimentação poderia ser mais saborosa.

Mais um pouquinho sobre minha reeducação alimentar

Deixa eu só retomar esse assunto, para você entender melhor o que eu fiz e aquelas estratégias que eu citei acima durante minha reeducação alimentar (RA).

Minhas refeições eram bem controladas. Antes de começar a RA, eu fiz todos os cálculos e seguia controlando através de um aplicativo no celular tudo o que comia: o consumo de carboidratos eu tentava manter abaixo de 100 g/dia, as proteínas também seguiam nessa faixa e as gorduras boas ou ruins (ainda não me importava com isso) entre 20 e 30 g/dia. Dessa forma, eu ficava entre 1400 e 1600 calorias/dia. Isso tudo junto de muita atividade física, pois frequentava a academia de 5 a 6 vezes por semana, de 2 a 3 horas por dia.

Exemplo do meu almoço na RA:
sem carbos e sem gorduras
Em nenhum momento eu passei fome, pois comia muito bem! Minhas refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) eram ricas em verduras e legumes, mas tudo sem sal e sem gorduras. Cozinhava todos os legumes no vapor e no máximo usava algumas ervas para temperar. Comecei comendo arroz integral de grãos, mas com o tempo fui diminuindo até ele sumir. Também não comia nada com farinha de trigo refinada.

O meu maior problema foi a ingestão de proteínas, pois eu não gostava muito de carnes. Comia basicamente filé de frango cozido sem sal, sem gorduras e com especiarias, claras de ovo e atum em lata. Para atingir minha meta, suplementava whey nos lanches.

A hora da mudança

Eu gostava de comer assim, não me importava. Mas você concorda que não dava pra me manter assim pra sempre? Eu quase não comia fora de casa com medo de engordar.
Por isso me encantei com a proposta do "Emagrecer de Vez" e fui atrás de mais informações. Passei pelo blog de diversas garotas, descobrindo que esse tipo de alimentação recebia o nome de LCHF (low carb & high fat). Depois achei o nome "PALEO" e assim o blog do Dr. José Carlos Souto.

O começo não foi nada fácil para mim.
Em relação ao glúten foi bem tranquilo, pois minhas fontes eram o pão integral do café da manhã que substitui por omeletes, e as barrinhas de cerais e outros alimentos industrializado que eu utilizava nos meus lanches acabaram sumindo, pois não precisava comer mais de 3 em 3 horas.

O meu maior problema foi o consumo de gordura. Nunca na minha vida tinha comido assim. Em casa minha mãe sempre consumiu tudo light e sem gorduras. Sofri, passei mal no primeiro mês... mas achei a solução e fui introduzindo aos poucos: colocando um pouco azeite extra-vrigem na salada, preparando os alimentos com óleo de coco, experimentando novas opções como café com óleo de coco, abacate, coco, manteiga.

E assim sigo desde o final do ano passado, com o foco na minha saúde. Já tive altos e baixos com o peso pois emagreci e engordei um pouco, mas nada de forma exagerada.  Gosto de dizer que ainda estou na fase de aprendizado, estou conhecendo o meu corpo, afinal somos diferentes um dos outros, e o que funciona pra alguém não necessariamente vai funcionar para mim!

No próximo post quero compartilhar com vocês mais um pouco dessa experiência lowcarb/paelo. E principalmente sobre minha atual fase, na qual eu optei por comer mais limpo mesmo e com mais consciência. Estou descobrindo que "menos é mais" e isso está me fazendo muito bem!

Continuação: "Emagrecimento consciente"

28/07/2014

Salmão grelhado com crosta de gergelim e molho de alcaparras

Eu adoro salmão, mas nunca tinha feito ele em casa sem ser no forno.
Então dessa vez experimentei inovar e não é que deu certo?!

Salmão grelhado com crosta de gergelim e molho de alcaparras

   Ingredientes para o salmão
  • 1 pedaço de salmão sem espinhas
  • suco de meio limão
  • sal a gosto
  • pimenta do reino a gosto (eu utilizei um mix de pimentas moídas na hora)
  • 2 colheres de sopa de gergelim branco
  • 2 colheres de sopa de gergelim preto

   Modo de preparo
  1. Corte o salmão em pedaços, pequenas postas de 3 dedos de largura.
  2. Faça uns dois cortes de leve na pele, no maior sentido.
  3. Tempere os pedaços com o limão, sal e pimenta e coloque numa vasilha tampada deixando por uns 20/30 minutos na geladeira.
  4. Após esse tempo, misture os gergelins num pratinho.
  5. Retire os pedaços da geladeira e pressione a parte sem pele sobre os gergelins.
  6. Leve uma frigideira ao fogo baixo e coloque imediatamente os pedaços de salmão nela, com a parte da crosta de gergelim para baixo. Deixe por aproximadamente 3 minutos e vire os pedaços deixando pelo mesmo tempo.
  7. Reserve a frigideira para o molho.

   Ingredientes para o molho
  • 1 colher de sopa de manteiga sem sal (eu utilizei a manteiga de garrafa)
  • 1 colher de sopa de alcaparras
  • suco de meio limão 
  • pitada de sal

   Modo de preparo
  1. Coloque as alcaparras numa peneira e lave em água corrente deixando escorrer bem. Reserve.
  2. Na mesma frigideira que grelhou o salmão, derreta a manteiga.
  3. Adicione as alcaparras, o suco do limão e o sal e misture bem.
  4. Despeje o molho sobre os pedaços de salmão grelhados e sirva.

27/07/2014

Pasta de azeitonas

Essa receita é de uma pastinha francesa conhecida por Tapenade!
Ela possui diversas variações, mas os principais ingredientes são as azeitonas, as alcaparras e o azeite.

Fica ótima para ser servida como acompanhamento de carnes e saladas, mas você também pode servi-la como canapés e no lugar do pão ou da torrada, usar rodelas de abobrinha ou pepino!

É bem fácil de fazer....  vamos lá?

Pasta de azeitonas

   Ingredientes
  • 1 xícara de azeitonas verdes sem caroço
  • 1colher de sopa de alcaparras
  • 6 nozes
  • 1 dente de alho
  • 4 colheres de sopa de azeite extra-virgem
  • suco de meio limão
  • 1 colher de chá de vinagre (maçã ou ervas-finas)
  • pitada de sal
  • manjericão desidratado ou fresco

   Modo de preparo
  1. Coloque as azeitonas e as alcaparras numa peneira e lave sobre água corrente, deixando escorrer bem.
  2. Junte todos os ingrediente, menos o manjericão, num processador e bata até atingir um pasta rústica, como pedaços pequenos. Caso não tenha processador, pique os ingredientes numa tábua.
  3. Acrescente o manjericão e misture com uma colher.
  4. Sirva na hora ou mantenha guardado em geladeira.

24/07/2014

Carne moída

Quem me conhece há mais tempo, sabe que sempre fui fresca em relação à comida, principalmente com carne vermelha! Eu não gostava de comer, tanto que há uns 5 anos eu cheguei a parar de comer mesmo e fiquei mais de um ano sem nenhum tipo de carne, seguindo uma alimentação vegetariana.

No ano passado, quando fiz minha reeducação alimentar para emagrecer, sentia falta de proteínas e, por causa disso me obriguei a comer um pouco de peito de frango e atum no meu dia a dia. Era o que eu conseguia comer, além de peixes em restaurantes japoneses.

Mas acontece, que desde o começo desse ano, quando eu entrei totalmente numa alimentação comida de verdade, comendo mais gorduras e menos carboidratos e cortando completamente o glúten, isso me despertou estranhas vontades de comer carne! Deixei de lado as ideologias vegetarianas de uma vez, e comecei a me aventurar mais no mundo carnívoro...

E como gostar de comer carne é uma novidade na minha vida, cozinhar com carne também é! Ainda estou aprendendo... mas essa receita de carne moída que preparei, ficou maravilhosa e precisava compartilhar com vocês. Espero que gostem, como eu gostei!

Pode ser um preparo simples para a maioria, mas sempre tem algumas pessoas iniciando na cozinha como eu, que não sabem por onde começar... e é mais simples e fácil de preparar do que eu imaginava!

Carne moída

    Ingredientes
  • 500 g de acém moído
  • 1 colher de sopa de gordura (manteiga ou banha de porco)
  • 2 dentes de alho picado
  • 1/2 cebola picada
  • 80 g de bacon picado em pedaços pequenos
  • sal a gosto
  • pimenta do reino a gosto 
  • 80 g de azeitonas verdes sem caroço e fatiadas
  • 100 ml de molho vermelho sem tomantes

    Modo de preparo
  1. Aqueça a gordura numa panela grande e quando ela derreter acrescente o alho e a cebola, mexendo de vez em quando.
  2. Quando a cebola começar a ficar transparente, coloque o bacon e deixe fritar um pouquinho.
  3. Adicione a carne moída, sal e pimenta e deixe cozinhando entre 10 e 15 minutos até a água que a carne soltar começar a secar.
  4. Acrescente as azeitonas e o molho vermelho, misture bem e deixe cozinhando por mais 10 minutos.

21/07/2014

Molho vermelho sem tomates

Assistir televisão é algo que não me atraí muito... a não ser que esteja passando programas de culinária ou algum relacionado à qualidade de vida.. ai sim eu adoro! Meu canais favoritos são a GNT e o Discovery Home & Health. E foi assim que descobri mais essa receitinha, assistindo o programa de culinária da Bela Gil.

Eu não concordo com todos os ingredientes que a Bela utiliza, mas é um dos poucos programas que defendem uma alimentação com comida de verdade! E além das receitas, ela dá ótimas dicas! E para ficar perfeito só falta ela deixar de usar a farinha de trigo, mesmo a integral, né?!

Voltando a receitinha... eu me interessei muito por esse molho vermelho sem tomates, por ser uma opção bem fácil de preparar! Sempre tive vontade de fazer molho de tomate caseiro, mas não sou muito fã de tomates... eu acabo consumindo mais os tomatinhos grapes na salada! Além do que, os molhos de tomate acabam sendo meio indigestos... ainda mais para quem tem problemas de estômago, como gastrite!

E se você gosta de molho de tomates e não tem nenhum problema com eles, te convido a experimentar esse molho mesmo assim! Tenho certeza de que você vai surpreender seu paladar...

Ah... se for usar o molho vermelho com macarrão, escolha uma opção mais saudável, sem glúten! Hoje em dia é fácil de encontrar nos supermercados macarrão de arroz ou de milho!

Molho vermelho sem tomates

   Ingredientes
  • 3 cenouras médias sem casca em pedaços médios
  • 1/2 beterraba grande sem casca em pedaços médios
  • 2 colheres de sopa de manteiga sem sal (usei a de garrafa)
  • 1/2 cebola média picada
  • 2 dentes de alho picados
  • 1 colher de chá de vinagre de maçã
  • 600 ml de água
  • 2 colheres de chá de sal
  • 1 colher de sobremesa de orégano seco
  • 1 colher de sobremesa de manjericão seco
  • 1 pitada de noz moscada

    Modo de preparo
  1. Aqueça a manteiga em uma panela grande em fogo médio. 
  2. Assim que a manteiga derreter, adicione a cebola e o alho e deixe refogando, por 5 minutos, mexendo de vez em quando.
  3. Acrescente os demais ingredientes e tampe a panela. 
  4. Quando começar a ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhas por 30 minutos, até que os legumes fiquem bem macios.
  5. Transfira o conteúdo da panela para o liquidificador e bata até a mistura ficar homogênea.

   Observação:
  • Eu mudei poucas coisas da receita que a Bela Gil passou no programa, como por exemplo, tirei o shoyo (evito usar alimentos com soja na minha alimentação) e não usei o manjericão fresco e nem a folha de louro (apenas porque não tinha em casa quando preparei). Então se você se interessar clique aqui para ver a receita original do molho! 

20/07/2014

Molho de avocado para saladas

Vi essa receitinha no programa "Bela cozinha" que passa na GNT e, além de ser ótima e fácil de preparar, está de acordo com o tipo de alimentação que eu escolhi pra mim!

Para quem ainda não sabe, o abacate é um alimentos excelente! Suas gorduras são ótimas e não tem desculpas para evitá-lo! Na minha casa procuro sempre ter abacate, acho que ele fica delicioso com a salada... ou até mesmo como um docinho, com um pouco de cacau e coco ralado! Só não vale colocar um monte de açúcar nele, ok?!

Essa receita eu fiz com o avocado, que é uma variação do abacate! É um fruto menor, do que o abacate manteiga, o mais conhecido. Tem um sabor um pouco diferenciado.. mas se você não encontrar, pode fazer com o metade de um manteiga mesmo!

Molho de avocado para saladas

     Ingredientes
  • 1 avocado
  • suco de 1 limão
  • 4 colheres de sopa de azeite extra-virgem
  • 1 colher de sopa de mostarda sem açúcar 
  • 1 dente de alho
  • 1 colher de chá de sal

     Modo de preparo
  • Bata todos os ingredientes num mini-processador até a mistura ficar homogênea.

13/07/2014

Filé de frango frito com curry e gengibre

Essa é uma receitinha simples e super fácil de fazer para você variar o preparo do frango em casa!

Eu, desde que comecei a me aventurar na cozinha, me apaixonei por temperos! E essa mistura de curry com gengibre é uma das que eu mais gosto para usar em peitos de frangos!

Se quiser pode usar em outras parte do frango também, além do peito. Que tal tentar?

Filé de frango frito com curry e gengibre

Ingredientes
  • 500 g de filé de peito de frango
  • suco de meio limão
  • 2 colheres de chá de curry
  • 1 colher de chá de gengibre em pó
  • 1 colher de chá de sal
  • 2 colheres de sopa de óleo de coco
  • ervas finas a gosto

Modo de preparo
  1. Corte os filés de frango em tiras.
  2. Coloque as tirar num recipiente, misturando o limão, o curry, o gengibre, o sal e o óleo de coco.
  3. Cubra com a tampa ou com um plástico filme e deixe na geladeira por pelo menos 1 hora.
  4. Para fritar, aqueça uma frigideira e coloque os filés e salpique um pouco de ervas finas.

Observação
  • Para quem tem em casa aquelas fritadeiras sem óleo, dá para fritar o frango nela também!
    Para essa receita, deixe por 30 minutos a 180 graus, mexendo neles na metade do tempo. Eu fiz assim e ficou muito bom... esse aparelho está me surpreendendo!

07/07/2014

Caponata de berinjela e abobrinha

Já postei aqui uma receita mais simples de um antepasto de berinjela... e foi pensando nela que criei essa.

Dei uma incrementada, misturando alguns ingredientes que tinha disponíveis em casa e, meio que sem querer, cheguei num resultado maravilhoso e super fácil de preparar!

Guardei em alguns potes de vidro e deixei na geladeira curtindo, porque com o passar dos dias a caponata fica ainda mais gostosa.

Caponata de berinjela e abobrinha
     
     Ingredientes
  • 1 berinjela média cortada em fatias finas
  • 1 abobrinha italiana cortada em fatias finas
  • 1 cebola média cortada em fatias finas
  • 80 g de azeitonas verdes sem caroços em fatias
  • 40 g de castanhas do pará trituradas
  • 30 g de uvas passas
  • 1 dente de alho amassado
  • 1/2 xícara de vinagre de maçã 
  • 1/2 xícara de água
  • 1/2 xícara de azeite de oliva extra-virgem
  • 1 colher de chá de sal
  • ervas finas a gosto

     Modo de preparo
  1. Preaqueça o forno a 200/220ºC.
  2. Misture numa assadeira antiaderente: a berinjela, a abobrinha, a cebola, as azeitonas, a castanha do pará, as uvas passas e o alho.
  3. Numa vasilha misture a água, o vinagre e o sal e regue a mistura na assadeira.
  4. Salpique por cima as ervas finas.
  5. Leve para assar por aproximadamente 60 minutos.
  6. Retire do forno e acrescente o azeite, misturando com uma colher.

01/07/2014

Filé de lombo com bacon

Outro dia no mercado, passando pela parte de carnes congeladas, me deparei com uma embalagem de filé de lombo! Olhei a embalagem, li o rótulo e como não tinha conservantes e nem nada estranho, decidi comprar. Mas ele ficou algumas semanas no meu congelador, porque não tinha idéia de como preparar!

Pesquisei um pouco algumas receitas com lombo na internet, só que quando descongelei o lombo, decidi fazer o que veio na minha cabeça! Arrisquei.... mas no fim deu certo!

Filé de lombo com bacon

     Ingredientes
  • 4 filés de lombo
  • 2 colheres de chá de chimichurri desidratado
  • 1/2 colher de chá de sal
  • 4 fatias finas de bacon
  • 1 xícara de caldo de legumes natural

     Modo de preparo
  1. Hidrate o tempero chimichurri com um pouco de água por uns 30 minutos.
  2. Após esse tempo tempera os dois lados do filé com o tempero e o sal.
  3. Guarde na geladeira em recipiente tampado por 1 hora.
  4. Passado o tempo, preaqueça o forno a 260/280 graus e retire os filés da geladeira.
  5. Enrole as fatias de bacon no lombo e coloque-os numa assadeira.
  6. Cubra a assadeira com papel alumínio. Lembrando: o lado brilhante sempre é virado para o assado!
  7. Leve no forno por 40 minutos. 
  8. Após o tempo, retire o papel alumínio e deixe por mais 10 minutos.

     Dica - Caldo de legumes
  • O caldo de legumes que usei na verdade foi a água de cozimento que sobrou de uma salada de repolho, couve, cenoura e beterraba que tinha feito antes! Você pode usar como esse caldo qualquer água que sobrar de legumes que for cozinhar. E se quiser, pode congelar para usar em outras ocasiões. Prefira sempre essas alternativas naturais... nada de usar aqueles caldos em tabletes, tá?! 

29/06/2014

Vinho quente sem álcool

Eu amo festa junina, e claro, todas as comidinhas e bebidas dessa época!

Mas elas não são nada saudáveis... e a maioria é cheia de açúcar. Por isso me interessei muito quando descobri essa receita de vinho quente sem álcool na internet.

O que mais me chamou a atenção não foi ser sem álcool e sim a ausência de açúcar ou qualquer outro adoçante!

Aproveitei que esse final de semana teve festa junina na família para comemorar o aniversário da avó do meu namorado, e preparei para o pessoal. Todo mundo que experimentou adorou! E o melhor, ninguém sentiu a falta do açúcar e nem a do álcool.

É uma receita que segue o conceito paleo, ou seja, preparada com ingredientes de verdade (naturais). Mas quem está seguindo uma dieta para emagrecer e de baixo carboidratos tem que consumir com moderação porque o suco de uva não é lowcarb, ok?

Ah... outra coisa, fique de olho no rótulo do suco de uva! O ideal é que a lista de ingredientes tenha apenas um item: suco de uva!

Vinho quente sem álcool

     Ingredientes
  • 1 litro de suco de uva tinto integral sem açúcar ou adoçantes e de preferência sem conservantes
  • 250 ml de água
  • 1 maçã média cortada em cubinhos com a casca
  • Casca de uma laranja (pode usar somente as raspas)
  • Casca de um limão (pode usar somente as raspas)
  • 1 pedaço de canela em pau
  • 10 cravos

     Modo de preparo
  1. Misture todos os ingredientes numa panela grande e leve ao fogo.
  2. Quando começar a ferver, tampe a panela e marque 10 minutos.
  3. Apague o fogo, espere esfriar um pouco e sirva ainda quente com pedacinhos de maçã e com o auxílio de uma concha.

24/06/2014

Caldo verde com mandioquinha

Passei o último final de semana na chácara e colhemos todas as verduras da horta!
E assim trouxe pra casa muita couve.... metade dela preparei refogada na manteiga e a outra parte fiquei com vontade de preparar um caldo verde.

Mas nunca tinha feito nada parecido na cozinha... então lá fui eu pedir ajuda para o chef Google! Descobri várias receitas e formas de preparo, e acabei preparando do meu jeito, pois queria fazer um caldo verde diferente: sem batatas! Escolhi então testar com mandioquinha, também conhecida como batata-salsa ou batata-baroa!

Acabei me surpreendendo na cozinha preparando essa receita. Foi mais fácil do que imaginei e o resultado ficou maravilhoso. Ótima pedida para as noites frias que estão fazendo em São Paulo...

Ah.. utilizei uma linguiça suína defumada que uma amiga me trouxe do Rio Grande do Sul, mas acredito que dá pra usar qualquer outra linguiça nessa receita.

Caldo verde com mandioquinha 

     Ingredientes
  • 500 g de mandioquinha sem casca em pedaços
  • 100 g de bacon picado
  • 1/2 cebola média picada
  • 2 dentes de alho amassados
  • 1 colher de sopa (20 g) de manteiga
  • 250 g de linguiça em pedaços 
  • 100 g de couve manteiga fatiada em tiras finas
  • 1 colher de chá de sal
  • pimenta do reino a gosto

     Modo de preparo
  1. Coloque os pedaços de mandioquinha numa panela e cubra com água. Leve para cozinhar por 20 minutos.
  2. Após o cozimento, bata no liquidificador os pedaços e a água que restou. Reserve.
  3. Numa panela grande, aqueça a manteiga e frite o bacon. 
  4. Adicione a cebola e o alho, deixando-os dourados.
  5. Acrescente, aproximadamente, 700 ml de água filtrada e deixe cozinhando.
  6. Ao iniciar a fervura, adicione a mandioquinha que estava reservada e misture bem, colocando em seguida os pedaços de linguiça. Deixe cozinhando por 5 minutos.
  7. Após esse tempo, acrescente a couve, o sal e a pimenta do reino e deixe cozinhar por mais 5 minutos! 

     Dicas
  • Ficou uma delícia, mas se você quiser uma opção mais lowcarb, tente seguir a dica da Marcela, do blog Minha mãe é lowcarb: substitua a mandioquinha por couve-flor!
  • E na hora de servir, não deixe de colocar um fio de azeite!

23/06/2014

Purê de abóbora

Estava na chácara nesse final de semana e ganhei um saco de abóbora do namorado!
No primeiro momento pensei apenas em fazer ela apenas cozida.... mas tive a ideia de fazer purê durante o cozimento.

Escolhi usar leite de coco nessa receita, depois de escutar minha sogra falando de um doce de abóbora com coco! Ai pensei, por que não? E ficou bem simples de preparar. ;)

Purê de abóbora

     Ingredientes
  • 500 g de abóbora sem casca em pedaços
  • 100 ml de leite de coco
  • 2 colheres de sopa (40 g) de manteiga
  • 1 colher de chá de sal 
  • pimenta do reino a gosto 

     Modo de preparo
  1. Coloque os pedaços de abóbora numa panela, cubra com água, adicione o sal, tampe e leve para cozinhar por, aproximadamente, 25 minutos. Se preferir, cozinhe no vapor e reserve o sal para usar depois ao misturar os demais ingredientes.
  2. Após o cozimento, escorra a água e dê uma leve amassada nos pedaços com um garfo.
  3. Bata no liquidificador a abóbora com os demais ingredientes.

16/06/2014

Fondue de queijo

Essa receita eu fiz já tem um tempinho quando voltamos das Serras Gaúchas e o namorado me pediu para fazer um creme de queijo! No mesmo dia que fiz, tivemos a ideia de usar esse creme para fondue, mas só nesse final de semana testamos... e não é que deu super certo?!

Então esse creme pode ser usado dessas duas maneiras, e também como um patê de queijo quando gelado! Pois o que sobrou guardei na geladeira, ele endureceu e ficou uma delícia!

Creme de queijo

     Ingredientes
  • 40 g de manteiga (eu usei a de garrafa, mas pode ser a normal)
  • 1 pote de 300g de cream cheese
  • 400 ml de creme de leite fresco
  • 250 g de parmesão ralado
  • 40 g de gorgonzola
  • sal a gosto
  • uma pitada de noz moscada

     Modo de preparo
  1. Derreta a manteiga numa panela em fogo baixo.
  2. Acrescente o cream cheese e após derretido misture o creme de leite.
  3. Adicione os queijos, o sal e a noz moscada e misture bem.
  4. Tampe a panela para derreter e misturar todos os ingredientes.

   Dicas para o fondue
     Opções saborosas não faltam para você substituir o pão para acompanhar um fondue de queijo.  
     Use a sua imaginação!
  • legumes cozidos: brócolis, couve-flor, fundo de alcachofra, cenoura
  • tomatinhos sweet ou grape
  • cogumelos paris (champignon)
  • azeitonas
  • salames

13/06/2014

Tâmaras enroladas no bacon

Se você se assustou com o bacon nesse prato, está na hora de perder esse medo de gorduras, hein?

Já postei aqui uma série de textos da nutricionista Alice Dalpicolli sobre o Mito do Colesterol e para ajudar a reforçar isso, a revista americana TIME publicou na capa da edição do último final de semana (12/6/14) a matéria "Coma Manteiga" que representou o fim da recomendação de uma dieta/alimentação com baixo consumo de gorduras. Veja aqui o post do Dr. José Carlos Souto sobre isso!

Bom, agora vamos a receita!!
Na verdade é algo tão simples de preparar... que nem sei se posso chamar de receita e você usa quantidade que quiser!

Tâmaras enroladas no bacon
   
     Ingredientes
  • Tâmaras sem caroço
  • Fatias finas de bacon
   
     Modo de preparo
  1. Enrole pequenas fatias de bacon em cada tâmara.
  2. Disponha as tâmaras já enroladas lado a lado em uma assadeira.
  3. Leve para assar em forno médio por aproximadamente 10 minutos. Fique de olho para não queimar, já que pode ter variação de temperaturas entre os fornos.
  4. Sirva quente ou frio.

Obs: aprendi isso com a chef Camila Bianco do restaurante Cinco Bocas, pois ela preparou pra gente oferecer durante o coffee break do ciclo de palestras Coma Comida de Verdade.




10/06/2014

Bolo de chocolate com abobrinha

Eu queria fazer uma receita diferente para surpreender os participantes do evento Coma Comida de Verdade, e lembrei de um bolo de abobrinha que aprendi num curso do Sesi que participei.

Achei a receita, mas tive que fazer várias alterações para deixar ele mais saudável e usar os ingredientes certos. O resultado depois de vários testes foi uma receita nova, bem diferente da inicial, que criei com a ajuda de duas amigas que montaram o coffee break do evento comigo: a Carol, do blog Dicas Low Carb e a Vivi (@vivilucacardinali).

E é um bolo super nutritivo e saudável, sem glúten, sem lactose (dependendo da escolha da manteiga) e adoçado com mel! E nada de cara feia antes de experimentar, pq não fica com gosto de abobrinha!

Bolo de chocolate com abobrinha
No coffee break do Coma Comida de Verdade

     Ingredientes
  • 300 g de abobrinha italiana picada 
  • 3 ovos grandes em temperatura ambiente 
  • 50 g de manteiga em temperatura ambiente 
  • 90 g de mel 
  • 30 g de cacau em pó 
  • pitada de sal
  • 100 g de farinha de linhaça dourada
  • 60 g de coco ralado seco fino sem açúcar
  • 40 g de amêndoas trituradas (farinha)
  • 20 g de fermento em pó

     Modo de preparo
  1. Unte uma assadeira com um pouco de manteiga e enfarinhe com polvilho doce. Reserve.
  2. Bata no liquidificador: a abobrinha, o ovo, a manteiga, o mel, o cacau e o sal.
  3. Depois da massa ficar homogênea, acrescente as amendoas e o coco ralado, e bata bem.
  4. Despeje a massa numa tigela e misture a farinha de linhaça com ajuda de uma espátula.
  5. Acrescente o fermento e misture-o delicadamente.
  6. Transfira a massa para assadeira e arrume com a espátula. Bata de leve num superfície lisa para ajeitar melhor.
  7. Leve para assar no forno pré-aquecido a 180/220 graus por 45 minutos.

     Dicas
  • Rendimento: eu utilizei uma assadeira pequena (18 x 22 cm) e cortei em 28 quadradinhos.
  • Utilize a manteiga e os ovos em temperatura ambiente para que o seu bolo cresça mais e fique bem fofinho.

29/05/2014

Bolo de banana - sem glúten, sem lactose e sem açúcar!

Esse bolo foi uma amiga minha que me ensinou o caminho... ou melhor a receita!
Ela achou a internet e antes de me mostrar o preparo, fez o bolo pra mim!

A receita é bem conhecida por quem tem a preocupação de não comer glúten e açúcar e vi que tem algumas variações. E claro, que eu alterei algumas coisas e acabei criando a minha versão, sem lactose também!

Não é um bolo tão lowcarb, por causa da banana e das uvas passas, mas é uma receita com ingredientes de verdade e super saudável para você fazer de vez em quando! E o segredo de não usar açúcar é deixar a banana ficar muito madura... quase apodrecendo, sabe?! Quanto mais madura a banana estiver, mais doce o bolo ficará. As uvas passas também ajudam a adoçar a bolo!

E outra, é super simples de fazer, não precisa saber cozinhar para preparar, viu?

Bolo de banana

Ingredientes


  • 4 bananas nanicas médias bem maduras (aproximadamente 400 g)
  • 3 ovos em temperatura ambiente
  • 60 g de manteiga de garrafa
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • 80 g de uvas passas pretas 
  • 2 xícaras (200 g) de farinha de linhaça dourada
  • 1 colher de sopa de fermento em pó

Modo de preparo
  1. Preaqueça o forno a 180/220 graus.
  2. Unte uma assadeira com um pouco de manteiga e enfarinhe com polvilho doce.
  3. No liquidificador bata primeiro: a banana picada, os ovos, a manteiga e a canela.
  4. Depois de bem misturado, acrescente as uvas passas e bata mais um pouco.
  5. Despeje a massa numa tigela e misture, com ajuda de uma espátula, a farinha de linhaça.
  6. Acrescente o fermento e mexa delicadamente.
  7. Coloque a massa na assadeira com a espátula e bata numa superfície lisa para ajeitá-la.
  8. Leve para assar por 45 minutos.
  9. Após tirar do forno e desenformar, salpique um pouco de canela em pó por cima.

Dicas
  • Rendimento: eu utilizei uma assadeira pequena (18 x 22 cm) e cortei em 28 quadradinhos.
  • Utilize a manteiga e os ovos em temperatura ambiente para que o seu bolo cresça mais e fique bem fofinho.

27/05/2014

Afinal, manteiga tem lactose?

Esse é um assunto que sempre me intrigou. Não tenho restrições à lactose, mas sei que ela em excesso causa inflamações no corpo. Por esse motivo tento me controlar um pouco na ingestão de alimentos ricos em lactose.

E desde que eu descobri a verdade por trás do colesterol, passei a utilizar a manteiga sem sal para cozinhar. Mas sempre fiquei com a dúvida: a manteiga tem lactose?!

Vejo muitas pessoas indicando e consumindo a manteiga clarificada, também conhecida como ghee, por ser uma opção mais pura e sem a lactose*. Mas confesso, que nunca tive vontade e nem senti necessidade de prepará-la em casa.

Ai, outro dia assisti na TV, a Bela Gil, no seu programa Bela Cozinha, ensinando a fazer a manteiga ghee. Até que é bem simples, mas fiquei com receio de queimar ou estragar a panela durante o processo. E ainda nesse episódio, a Bela comentou rapidamente que a ghee era a mesma coisa que a manteiga de garrafa, aquela típica do norte, sabe?

No dia seguinte pesquisei o assunto rapidamente na internet, mas não achei nada que confirmasse esse fato e, acabei esquecendo disso. Só que recentemente me deparei com a manteiga de garrafa numa loja que costumo ir e comprei para experimentar.

Resultado? Me apaixonei pelo sabor que ela deixa nos alimentos e abandonei a manteiga sem sal que comprava em mercados. Mas a dúvida sobre a lactose surgiu novamente.

Enfim, voltei a pesquisar e dessa vez me aprofundei um pouco mais.
E pelo que tudo indica, as manteigas sem sal, compradas em mercado, contém apenas traços de lactose e proteínas do leite. Isso significa que o teor de lactose é muito baixo, que só deve ser evitada por quem tem problemas de reações severas à essas substâncias.

E o melhor de tudo, é que realmente a manteiga de garrafa é feita pelo mesmo processo que a clarificada (ghee), e, por esse motivo não apresenta lactose* e nem proteínas do leite. Li até casos de pessoas que tem intolerância a lactose que fazem uso desse tipo de manteiga e não apresentam nenhum tipo de reação.

(*Atenção! Intolerantes severos tem que tomar mais cuidado com todas essas manteigas porque podem ter traços de lactose, devido ao tipo de preparo. Nesses casos, aconselho entrar em contato com o fabricante para ter certeza da ausência da lactose).

Lembre-se: ao comprar qualquer manteiga fique de olho no rótulo, compare os produtos e escolha aquele que você achar mais natural. O ingrediente da manteiga é o creme de leite! No máximo escolha aquele produto que apresente no rótulo creme de leite e sal.

Separei alguns trechos interessantes de textos que li para chegar a essas conclusões:

"E as manteigas? Essas certamente contém lactose e proteínas do leite. É comum pensarmos que se a manteiga é feita a partir do creme de leite batido, é óbvio que ela contém lactose. Errado! É verdade que a manteiga é feita a partir do leite, mas o produto final é basicamente composto de gordura e adição de cloreto de sódio (sal). Difícil de acreditar? Nas embalagens dos produtos analisados é possível verificar que, da mesma forma que as margarinas, as manteigas também apresentam 0g de carboidratos (lactose) e 0g de proteínas, ou seja, novamente podemos afirmar que a quantidade de lactose e proteínas do leite é tão pequena que é considerada irrelevante. Para confirmarmos esta informação, entramos em contato com o SAC de alguns fabricantes. Esses relataram que o teor de lactose fica entre 0,07g a 0,5g enquanto outras marcas reportaram que o teor lactose não era detectável. Ou seja, a manteiga é considerada um produto que contém apenas traços de lactose e de proteínas. Somente nos casos de reações severas às proteínas do leite, as manteigas e margarinas devem ser evitadas."  (Intolerância a Lactose – Lactose Não)        

Modo de preparo da manteiga de garrafa:

"Pelo método tradicional o creme de leite puro, extraído pela desnatadeira, é levado para ferver por algumas horas, até que as suas partículas sólidas, popularmente chamadas de borra, se precipitem, separando-se da parte gorda (manteiga). Mexendo-se sem parar, a borra vai se decantando e tostando no fundo da panela. É essa borra de cor caramelizada que confere à manteiga um sabor único e pronunciado, bem diferente da manteiga que usamos habitualmente. Ao ser aquecida essa manteiga não se queima. No fim desse processo, a manteiga – que adquire uma cor amarela intensa – é filtrada e colocada em garrafas. Em temperatura ambiente (exceto, é claro, em ambientes muito quentes como o encontrado no sertão), coagula-se, sendo necessário aproximar a garrafa do fogo para que rapidamente se liquidifique.  (Informações técnicas – Latício.net)              

Os 20 benefícios da manteiga:
  1. A manteiga é rica em Vitamina A na sua maneira mais facilmente absorvida pelo corpo, necessária para a saúde das glândulas adrenal e tireóide. 
  2. Contém ácido láurico, importante para tratar infecções fúngicas e cândida. 
  3. Contém lecitina, essencial para a metabolização do colesterol. 
  4. Contém antioxidantes que protegem contra a ação dos radicais livres. 
  5. Tem antioxidantes que protegem contra o enfraquecimento das paredes das artérias. 
  6. É uma ótima fonte de Vitaminas E e K. 
  7. É uma fonte riquíssima do mineral vital Selênio. 
  8. Gorduras saturadas na manteiga têm fortes propriedades anticancerígenas e antitumores.
  9.  Manteiga contém ácido linoleico conjugado, que é um potente agente anticancerígeno, construtor muscular e aumenta a imunidade. 
  10. A Vitamina D encontrada na manteiga é essencial para a absorção do cálcio. 
  11. Protege contra cáries! 
  12. É sua única fonte de um fator anti-enrijecimento, que protege contra a calcificação das articulações.
  13. Este antienrijecedor também previne o endurecimento das artérias, catarata e a calcificação da glândula pineal. 
  14. É uma fonte do Ativador X, que ajuda o corpo a absorver minerais. 
  15. É uma fonte de iodo em sua forma mais absorvível. 
  16. Pode promover a fertilidade em mulheres. 
  17. É uma fonte rápida de energia, e não é armazenada em forma de tecido adiposo em nossos corpos. 
  18. O colesterol encontrado na gordura da manteiga é essencial para o desenvolvimento cerebral e do sistema nervoso em crianças. 
  19. Contém Ácido Aracdônico (AA), que tem um papel nas funções cerebrais e é um componente vital das membranas celulares. 
  20. Protege contra infecções gastrointestinais nos muito jovens e idosos.


23/05/2014

Bolo de cenoura com cobertura de chocolate

Passei minha sexta-feira a noite na cozinha tentando fazer um bolo de cenoura para o namorado.... Não sei se vou conseguir agradar o paladar dele, mas o meu paladar amou... achei uma delícia!

É uma receita paleo, com ingredientes de verdade, só que é meio gordinha!!! Então quem está na fase de emagrecimento, pode comer, mas com muita moderação para não atrapalhar o processo.

Bolo de cenoura com cobertura de chocolate 

     Ingredientes para a massa: 
  • 1 cenoura pequena ralada (aproximadamente 120 g) 
  • 1 ovo em temperatura ambiente 
  • 20 g de manteiga de garrafa
    (pode ser a manteiga normal ou óleo de coco) 
  • 30 g de mel 
  • 1/2 colher de sopa de água 
  • 20 g de xerém de castanha de caju (é a castanha torrada e triturada) 
  • 30 g de farinha de amêndoas (pode usar amêndoas trituradas) 
  • 30 g de farinha de linhaça dourada 
  • 10 g de fermento em pó 

     Modo de preparo:  
  1. Preaqueça o forno a 180/220 graus. 
  2. Bata bem no liquidificador: a cenoura, o ovo, a manteiga, o mel e a água. 
  3. Quando a mistura estiver bem homogênea, acrescente a castanha de caju e bata mais. 
  4. Despeje a massa numa tigela e misture as farinhas. 
  5. Acrescente o fermento delicadamente. 
  6. Unte uma forma com um pouco de manteiga antes de colocar a massa. Nesse preparo eu utilizei uma de forma de bolo inglês.
  7. Leve para assar por 40 minutos. 

     Ingredientes para a cobertura: 
  • 1 colher de sopa bem cheia de nata (se não tive nata, tente fazer com creme de leite fresco)
  • 1/2 colher de sopa rasa da cacau em pó sem açúcar 
  • pitada de sal 
  • 1 colher de sobremesa de mel 

     Modo de preparo: 
  1. Coloque a nata, o cacau e o sal numa panela, leve ao fogo baixo sempre mexendo. 
  2. Quando estiver tudo bem misturado, acrescente o mel e mexa mais um pouco até começar a ferver. 
  3. Tire do fogo e cubra o bolo.
   
     Dica:
  • Se quiser, pode ser feito apenas com 70 g da farinha de amêndoas.

21/05/2014

Chips de banana e de maçã

Um dica super simples e fácil de fazer para um lanchinho saudável! Só é necessário um pouco de paciência, pois demora bastante tempo no forno...

São duas receitas, mas com modo de preparo bem parecido!

ATENÇÃO!!! Precisa ficar bem atento com o tempo na hora de assar, já que a temperatura pode variar de forno pra forno. Outra coisa que eu notei, é que dependendo da assadeira utilizada, esse tempo também pode variar. Então fique de olho para não deixar a fruta queimar! ;)

Chips de banana da terra

Ingredientes
  • 3 bananas da terra
  • 2 colheres de sopa de óleo de coco (líquido)
  • Sal a gosto

Modo de preparo
  1. Corte as bananas em rodelas não muito finas,
    mais ou menos 0,5 cm. Reserve.
  2. Misture numa tigela o óleo de coco e o sal. Caso o óleo de coco não esteja líquido é só esquentar em banho maria ou derreter no microondas.
  3. Passe as rodelas de banana na mistura.
  4. Coloque as rodelas lado a lado em uma assadeira. Cuidado para não deixar uma sobre a outra.
  5. Leve para assar no forno pré-aquecido a uns 220 graus por 20 minutos.
  6. Retire e vire as rodelas e deixe assando por mais 20 minutos.


Chips de maçã

Ingredientes
  • 4 maçãs
  • 2 colheres de sopa de óleo de coco (líquido)
  • Canela em pó a gosto

Modo de preparo
  1. Retire os cabinhos da maçã com uma faca.
  2. Rale a maçã no fatiador de legumes (ralador), tirando as sementes quando aparecerem. Se quiser pode cortar em rodelas bem finas com uma faca.
  3. Coloque o óleo de coco numa tigela para molhar os pedaços cortados.
  4. Coloque as rodelas lado a lado em uma assadeira. Cuidado para não deixar uma sobre a outra.
  5. Salpique canela em pó sobre a maçã já na assadeira.
  6. Leve para assar no forno pré-aquecido a uns 180 graus por 50 minutos.
  7. Retire e vire as rodelas, salpique mais canela e deixe assando por mais 50 minutos.

13/05/2014

Filé de pescada branca crocante

Essa é mais uma receitinha fácil, saudável e super saborosa!!!
Me surpreendi com o resultado e quase comi a assadeira toda quando tirei do forno! Fiz com o filé de pescada branca, mas deve ficar bom com outros tipos de peixe também!

Ah, outro dia me perguntaram como que compro os peixes que uso. Não tem mistérios, eu compro nos supermercados mesmo, aquelas bandejinhas de filé de peixe fresco! Apenas fico de olho na aparência e na data em que foi embalado!
E quando chego em casa separo eles, embalo um a um em papel filme e congelo! Um dia antes de preparar, tiro e deixo descongelando na geladeira.

Filé de pescada branca crocante 

     Ingredientes 
  • 5 filés de pescada branca
  • suco de meio limão
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • 1 xícara de amêndoas trituradas (farinha)
  • 2 colheres de sopa de manteiga (usei a de garrafa)
  • 1/2 colher de café de sal
  • raspas da casca do limão
  • salsinha e cebolinha a gosto
  • óleo de coco ou manteiga para untar a assadeira

     Modo de preparo
  1. Primeiro tempere os filés de peixe com sal, pimenta do reino e limão dos dois lados e reserve por 1 hora.
  2. Em uma tigelinha misture a farinha de amêndoas, com a manteiga líquida (pode derreter em banho maria ou no microondas), sal, raspas do limão, salsinha e cebolinha e reserve.
  3. Unte uma assadeira com o óleo de coco ou manteiga e disponha os filés lado a lado.
  4. Cubra os peixes com a farofinha de amêndoas pressionando com a mão.
  5. Leve para assar no forno pré-aquecido a 180/220º por 25 minutos ou até quando perceber que a casquinha ficou bem douradinha.
     Dicas
  • Como tinha um pouco de camarão limpo e pré-cozido em casa, coloquei alguns por cima da farofa para assar juntos.
  • E antes de comer, regue um pouco de azeite de oliva... fica ainda mais gostoso!

06/05/2014

Maltodextrina - não se deixe enganar!

Antes de iniciar o assunto, gostaria de deixar uma dica fundamental: leia sempre o rótulo dos alimentos que você deseja comprar! Sei que comida de verdade não tem rótulo porque não precisa de embalagem, mas, para mim, ainda é impossível viver sem comprar um ou outro alimento industrializado. 

E para você entender melhor sobre o assunto, vale a pena a leitura do post "Por que a gente engorda?"

Consuma produtos com consciência!

Outro dia, na minha ansiedade em ficar sem açúcar (o meu maior problema), lembrei de uma dica que passaram: a alfarroba! Pra quem não conhece, a alfarroba é uma doce sem açúcar, sem lactose e sem glúten que muitos adotaram para substituir o chocolate! Claro que eu fui atrás dessa maravilha dos deuses! Só que quando achei na loja, a primeira coisa que fiz (já virou hábito) foi pegar o pacotinho e ler os ingredientes na embalagem!

Nem terminei de ler e coloquei o pacotinho de volta na prateleira... um dos ingredientes da alfarroba é a MALTODEXTRINA!

"A maltodextrina é um polímero de glicose. É rapidamente absorvida e eleva a glicose no sangue de forma extremamente rápida. É tão eficiente nisso, que é usada como suplemento por fisiculturistas que desejam um grande pico de insulina para aumentar o anabolismo. E a indústria coloca isso onde? Em um produto destinado a DIABÉTICOS! 
Eis o que ocorre. Maltodextrina, tecnicamente, não é açúcar. Tudo bem, transforma-se em açúcar em segundos após entrar na sua boca mas, por lei, não é açúcar. O açúcar não serve apenas para adoçar. Ele serve para dar textura nas receitas, para da o "ponto". Ou seja, você não pode simplesmente pegar uma receita que pede 4 colheres de sopa de açúcar e trocar por 20 gotas de sucralose. Pode até ser que adoce tanto quanto, mas vai desandar, não terá a textura correta. 
Então, para suprir esta deficiência, a indústria resolve fazer um adoçante de forno e fogão. Desses que você adapta a receita com facilidade, pois pode usar a mesma quantidade do adoçante. Por exemplo, se a receita original pede 4 colheres de sopa de açúcar, você usa 4 colheres de sopa do adoçante de forno e fogão.

Mas precisa ser algo que tenha as mesmas propriedades químicas do açúcar - que tenha a mesma textura, que caramelize ao ser assado, etc. E a solução é... usar açúcar, é claro! Mas um açúcar que, por lei, possa ficar escondido. Entra aí a MALTODEXTRINA. Ela é açúcar (segundos após sua ingestão), mas o fabricante pode colocar no rótulo ZERO açúcar. Como a maltodextrina não tem gosto, eles então acrescentam adoçantes artificiais à mistura para que seja doce. É o pior de todos os mundos: você está usando açúcar (maltodextrina), com todos os malefícios que isso pode lhe trazer, mas o gosto é de adoçante, ou seja, nem mesmo o benefício do sabor você recebe em troca!"
 (É zero mesmo? - Dr. José Carlos Souto)               

Uau! Eu fiquei chocada com essa explicação sobre o que é a maltodextrina, tanto que é um nome que não consigo esquecer! O que mais me deixo indignada é que é um ingrediente que está na maioria dos produtos diet que são consumidos por diabéticos! A pessoa doente come o docinho diet que o médico liberou e depois fica sem entender porque a sua glicemia está alta... um absurdo, né?

Mas voltando ao meu caso da alfarroba, eu não sou diabética, então poderia consumir numa boa! O problema é que não gosto de ser enganada! E se for para comer alguma coisa que vai elevar a glicose do meu corpo da mesma forma que o açúcar puro, pq não comer um chocolate de verdade?!

Lembrando que não sou a favor de radicalismos, mas tenho que me controlar para não comer doces todos os dias. Não comprei a alfarroba pois naquele momento eu não estava afim de alterar a glicose no meu corpo... e gosto de fazer isso com consciência, evitando cair nessas armadilhas!

Por isso que eu comecei o texto falando para você se habituar a ler os rótulos, pois você vai encontrar a maltodextrina em inúmeros produtos no mercado! Fique atendo! ;)